No Comment
09h: 30 min AM

Na casa de Juliana todas estavam sentadas à mesa, alegres, e conversando com Kátia sobre a vigem, afinal ela tinha passado um mês fora do país e estava cheia de novidades.
-Você chegou na hora e no dia certo Kátia, hoje eu to organizando um almoço pra comemorar o novo emprego do Marcelo, ele vai tocar em grupo de jazz bem reconhecido em um hotel em São Paulo. Disse Juliana toda animada batendo a massa do bolo.
-Nossa! July, isso é ótimo, torço para que tudo de certo pra vocês. Disse Kátia sentando-se em um banquinho do balcão da cozinha.
- E você Márcia, conta o que de novidade de boa? Perguntou Márcia que estava pegando forte na massa do nhoque.
-Tenho sim, claro, a Mariana começou a tocar piano, Steffani vai se apresentar dançando balé mês que vem, e Leandro como sempre lendo muitos livros, está lendo um de Shakespere agora.
-Que legal! Disse Amanda.
Fernanda a olhou com uma cara de que ninguém tivesse chamado Amanda no meio da história.
-Nós estamos falando de sua vida pessoal Kátia. Disse Fernanda.
-Estou namorando já faz 2 meses, e estou super feliz, essa é a primeira e principal novidade. Disse Elizabeth abrindo um grande sorriso.
-Namorando? Quem é o rapaz de sorte? Perguntou Juliana.
-Um garotão de 30 anos, a gente se conheceu no bar do hotel, ele flertou comigo mandando um bilhete pela garçonete, e por coincidência eu e ele estávamos dormindo no mesmo andar, ele no primeiro apartamento do andar e eu no último. Ele é um amor de pessoas, chega amanhã, provavelmente, e vai ficar pouco por aqui, por causa do trabalho, ele é designer de jogos, sabe gente, eu estava até pensando em morar lá por causa dele.
Juliana, Kátia e Márcia se olharam com um olhar de preocupação.
-Você já se envolveu em um relacionamento mais ou menos assim Kátia, você lembra muito bem da decepção que teve com aquele rapaz. Disse Juliana.
-Nós só queremos apenas seu bem,Kátia tome cuidado com esses homens que você se envolve, falo isso por experiência própria, você mesma dizia isso pra mim quando eu me envolvia com aqueles cafajestes. Disse Fernanda.
-Ai gente, eu sei, não sou mais uma garotinha, sou uma mulher de 43 anos. Eu sei que já sofri bastante, depois que me separei do Igor, que é o pai dos meus filhos, e só Deus sabe onde aquele homem anda. Abandonou-me quando eu estava grávida do Leandro, fugiu porque não agüentava mais os filhos querendo a atenção dele, enquanto ele estava preocupado só em beber. O segundo então nem se fala. Eu me sentia muito apaixonada por aquele traste chamado Hugo. Foi um relacionamento turbulento de 1 ano, eu tendo que agüentar ele vendendo as coisas para comprar drogas, e quase batendo em mim e nos meus filhos, e eu tive que sair às preces do Rio de Janeiro pra vir morar aqui em São Paulo.
-Verdade amiga. Sua vida não foi nada fácil, nós sabemos você apenas quer buscar sua felicidade com alguém que te faça feliz. Disse Juliana quase se emocionando.
-Pelo menos faça a melhor coisa Kátia, nós esperamos que você faça uma coisa sábia, se não der certo desista de cara, se der certo vá até o fim. Disse Márcia.
-Podem confiar em mim amigas, prometo não meter os pés pela cabeça, eu tenho 3 filhos que dependem de mim, que me amam e necessitam de mim, não posso agir sem pensar neles também. Amanhã provavelmente vocês iram conhecer esse homem magnífico que é o Paul. Agora pelo amor de Deus, vamos mudar de assunto, temos tanta coisa pra conversar, tantas novidades. Disse Márcia levantando-se da cadeira.
-Gente, coitada de mim, to aqui só ouvindo a conversa de vocês sem falar nada. Disse Amanda rindo.
-Você tem que começar a se juntar mais a gente, se soltar mais, nenhuma de nós morde Disse Juliana rindo.
-Eu mordo. Disse Fernanda com um tom seco. Ela não ia muito com a cara de Amanda, achava que a garota só estava interessada no dinheiro de Beth e Alberto, mas felizmente não era isso que Amanda estava fazendo.
Todas riram do que Fernanda disse.
-E cadê a Beth? Estou louca pra ver ela, ela não vai acreditar que eu cheguei hoje mesmo. Disse Kátia toda animada.
-É mesmo gente, ela disse que iria vir bem cedo pra ajudar nos preparativos, afinal todas nós sabemos que a Beth sempre gostou de organizar qualquer festa que a gente planeja. Disse Márcia.
-Podem deixar eu vou lá chamar ela na casa dela. Disse Amanda indo.

09h: 55 min AM
Enquanto isso, não muito longe dali na empresa em que Alberto trabalhava...
-Doutor Alberto, sua esposa Elizabeth está aqui querendo falar com o senhor, posso mandá-la subir?
-Claro! Pode sim. Estou livre agora. Respondeu Alberto a secretária pelo telefone.
1 minuto depois...
-Bom dia meu amor, tudo bem com você? Vim te fazer uma visitinha. Disse Elizabeth entrando na sala de Alberto.
-Bom dia querida, achei que você estava na casa de Juliana ajudando ela com os preparativos da festa.
-Que nada! Estou cheia de coisas pra fazer hoje, compras, dividas pendente, problemas para se resolver e, por ai vai.
-E essa surpresa sua aqui, é por uma coisa boa ou uma coisa ruim? Raramente você vem me visitar, a última vez que você esteve aqui foi quando o Matheus passou mal e precisava ir ao médico, e o cartão do convênio estava comigo, e isso foi há muito tempo atrás. Disse Alberto rindo.
- É mesmo, mas você sabe que eu não gosto de te incomodar quando você está aqui. Só vim mesmo passar pra ver você, não é nada sério.
-Não finja pra mim Elizabeth. É sobre o que eu fiz ontem que você quer conversar, tenho certeza, é melhor você aproveitar agora, porque depois eu quero que esse assunto se encerre a partir de amanhã. Disse Alberto tirando o sorriso do rosto.
-OK! Eu queria mesmo falar sobre isso com você. Alberto eu não entendo porque você fez isso logo ontem, aquela noite estava sendo tão maravilhosa e você jogou ou uma água fria em cima de todos nos dando aquele seu discurso ensaiado. Disse Elizabeth bem rápida soltando o que tinha pra falar naquele momento.
-Mas é claro Elizabeth! Fiquei extremamente furioso quando fique sabendo daquilo, não esperava isso do meu filho, e não esperava também que você e suas amigas iriam esconder tudo de mim, fazendo a garota até dormir na casa da Márcia, com que imagem eu fico? Parece que vocês me acham frio ao ponto de rejeitar a garota e bater no meu próprio filho por causa dessas coisas. Disse Alberto quase derramando algumas lágrimas.
-Mas como você descobriu tudo isso Alberto? Eu não entendo isso. Perguntou Elizabeth
-A mãe da Amanda trabalha como secretária de um executivo amigo meu aqui na empresa, e eu notei que ela estava meia chorando e perguntou o porquê, ai ela veio com essa bomba na minha mão, como se fosse uma indireta e se eu estivesse abrigando a filha dela.
-Eu mudei Elizabeth. E eu queria muito que você confiasse em mim. Não sou mais uma pessoa de coração frio, e calculista que só pensava em mim mesmo. Eu me preocupo com todos vocês a partir de agora. Continuou Alberto.
-Me desculpe querido. Tirei uma conclusão muito precipitada da atitude que você iria tomar, eu sinceramente peço perdão. E você pode contar comigo, eu sempre vou estar do seu lado confiando em você. Disse Beth que estava quase chorando junto com o marido.
-E eu não quero mais que a Amanda durma na casa de Márcia. A partir de hoje à noite quero essa menina dormindo na nossa casa, a Márcia já tem muitos problemas pra resolver e nós como amigos dela não podemos jogar um problema nosso nas mãos dela que não tem nada a ver com toda essa história. Disse Alberto já mais calmo.
-Pode deixar, hoje quando você chegar a nossa casa nós iremos providenciar tudo.
-Eu vou sentir muita saudade de vocês amanhã quando eu estiver dentro do avião.
-E nós iremos sentir muitas saudades de você aqui em terra firme mesmo, aguardando sua volta.
-Senhor Alberto, uma reunião de última hora para ver o balanço da empresa foi marcada para daqui a dois minutos no último andar, na sala de conferência. Anunciou a secretária pelo telefone.
-Amor eu tenho que ir agora, os compromissos me chamam. Disse Alberto limpando as lágrimas.
-Eu vou indo embora então, vou ao mercado fazer as compras do mês, fique com Deus e um ótimo serviço pra você, e esqueça tudo de ruim que já nos aconteceu agora definitivamente à gente começa uma vida nova. Disse Elizabeth se despedindo com um beijo e um abraço do marido.

Enquanto no Condomínio...
A campainha toca na capa de Elizabeth e Pedro corre para atender a porta.
-Pedro? Achei que você tinha ido pro colégio hoje. Disse Amanda espantada.
-Nem fui, fiquei a noite inteira pensando sobre ontem acabei que nem dormi direito. Você não pode falar nada também, você nem foi hoje.
-Eu sei. Eu estava pensando em abandonar os estudos por causa da gravidez, mas eu pensei melhor e não vou largar, muito pelo contrário, eu irei agarrar aqueles livros enquanto eu estiver de licença.
-Nem pense em parar os seus estudos pelo nosso filho Amanda, depois isso pode até prejudicar a nós e a ela. Disse Pedro convidando Amanda para que entrasse e se sentasse no sofá.
-Essa barriga de 4 meses já ta começando a ficar pesada, eu to achando que nossa filha vai ser bem fortinha. Disse Amanda rindo.
-Filha não. Tenha mais respeito com Marco Antônio, ele é macho como o pai.
-Marco Antônio? Da onde você tirou esse nome Pedro? Riu Amanda.
-Poxa amor, Marco Antônio era casado com Cleópatra, e esse nome é tão bonito quanto nosso bebê. Disse Pedro rindo também.
-Só falta nascer uma menina ai o nome vai acabar sendo Cleópatra ou algo relacionado ao Egito antigo.
-Não. Cleópatra não. Vai ser Agatha com ‘’TH’’. Riu Pedro.
-Ai amor, você me faz rir, e eu ainda sei que você fala tudo isso brincando.
Pedro dá um selinho em Amanda.
-E o seu pai disse alguma coisa sobre ontem? Perguntou Amanda.
-Não, nada. Nós ficamos em silêncio do restaurante até em casa, e hoje à noite quando ele chegar nós iremos ver qual vai ser a reação dele depois de ter feito aquela tempestade toda. Disse Pedro se aproximando mais de Amanda.
-Ai nem quero pensar nisso.
-Vamos esquecer isso e namorar um pouquinho Amandinha, faz tanto tempo que a gente não tira um tempinho pra ficar juntos. Disse Pedro já abraçando Amanda no sofá.
-Verdade. Mas Pedro eu vim aqui chamar sua mãe pra ajudar a gente no almoço da Juliana, não posso demorar muito.
-Relaxa meu amor, minha mãe só vem na hora do almoço, saiu pra resolver um monte de assunto bem cedo, agora vamos namorar nem que seja um minuto minha grávida mais linda do mundo. Disse Pedro agarrando Amanda com muita paixão.

10h: 31 min AM
Na casa de Marina todos já se arrumavam pro almoço que iria ser ao meio-dia. Orfeu estava sentado na poltrona da sala, Marina estava no banho em seu quarto e Pietro descendo as escadas, já pronto.
-Meu filho, eu quero falar com você. Chamou Orfeu o Pietro.
-Diga meu pai.
-Eu sei que você é um rapaz maior de idade, que tem suas próprias responsabilidades, tem uma vida muito bem estabelecida na Europa e sei que você é responsável por seus atos. Disse Orfeu largando o jornal e olhando diretamente para o filho.
-Sim pai, claro, mas o porquê desse assunto agora? Indagou Pietro.
-Me deixa terminar que você vai me entender – Disse Orfeu. Pietro apenas balançou a cabeça concordando – Eu e sua mãe sabemos que você saiu ontem com a Fernanda, e quero saiba a imagem que a sua mãe tem da Fernanda não tem nada a ver com a imagem que eu tenho dela. A minha idéia e a da sua mãe não são nada parecidas, eu sei que a Fernanda é uma boa pessoa apesar de tudo de errado que aconteceu na vida dela, sei que ela agia sem pensar duas vezes. Se você teve alguma coisa com ela ontem pode se abrir pra mim meu filho, eu irei me sentir feliz de saber que vocês dois estão namorando, porque vocês dois são pessoas integras e responsáveis que assumem os próprios erros depois de cometidos. Disse Orfeu sabiamente.
-Nós transamos ontem à noite pai, e eu estou começando a gostar dela. Ontem aquela noite no restaurante ao lado dela foi muito boa, de todas as mulheres que eu já convidei para sair ela foi uma das melhores, ela não esta interessada em dinheiro ou beleza, ela só que alguém para amar, assim como eu também quero. Disse Pietro abrindo-se para o pai.
-Que bom meu filho que você está gostando dela, espero que tudo de certo. Mas e a sua noiva de Paris, você não gosta mais dela? Esqueceu ela? Perguntou Orfeu.
-Não pai. Aquilo era tudo mentira, eu não tenho nenhuma noiva ou namorada em Paris, eu só falava aquilo para a mamãe não ficar enchendo meu saco toda hora dizendo para eu arrumar logo um casamento com alguém decente.
-Nossa! Você podia ao menos ter me dito antes, que tudo era mentira, e sua mãe vai te perguntar qualquer hora sobre ela, e você não vai poder inventar outra mentira, fica feio pra você depois, diga logo a verdade. Disse Orfeu encorajando o filho.
-Pode deixar pai, quando ela vir me perguntar...
-Estou pronta, agora só falta você querido, vamos logo porque não quero me atrasar. Disse Marina aparecendo no alto da escada toda bem vestida com um conjunto social rosa estilo rainha Elizabeth.
-Nossa querida, você esta muito bonita. Disse Orfeu.
-Bem enquanto você vai se arrumando papai eu vou até a padaria comprar alguma sobremesa para levar, afinal é feio chegar de mãos vazias. Disse Pietro querendo sair para não ficar sozinho com a mãe, com medo de que ela lhe perguntasse algo.
-Não demore meu filho, meio-dia no máximo esteja aqui. Disse Marina.

A casa de Elizabeth...
-Amor do céu, olha as horas, já estou aqui faz trinta minutos, chega de namoro me deixa ir ajudar elas, quero ver a desculpa que eu vou dar. Disse Amanda levantando-se do sofá e empurrando Pedro de cima dela.
-Ai Amanda, vai com calma, elas sabem se virar sozinha, você mesma disse que estava se sentindo excluída no meio delas, não precisa ter tanta pressa.
-Eu sei que falei isso, mas por isso mesmo não posso dar motivos, porque a Fernanda não gosta muito de mim ai fica motivo pra ela ficar falando de mim. Disse Amanda se arrumando.
-Não sei por que tanta implicância a Fernanda tem com você. Disse Pedro.
-Eu também não sei, mas qualquer hora isso vai acabar dando briga, agora me deixa ir, esteja lá ao meio-dia não se esqueça você é meu acompanhante. Amanda deu um beijo em Pedro e foi até a casa de Juliana.

Na casa de Juliana...
-Nossa cadê a pequena senhora Kingdom? Disse Fernanda ironicamente.
-Ela ta demorando demais, a gente só pediu pra ela chamar a Elizabeth não ficar na casa da Elizabeth. Disse Juliana.
-Ai gente, todas nós sabemos que o Pedro esta em casa, os dois devem ter parado para namorar, fazia tanto tempo que os dois não tiravam um tempo para eles. Disse Márcia.
-Isso todas nós sabemos, mas precisava tirar esse tempo logo agora que estamos todas ocupadas enquanto ela fica namorando, pelo que eu saiba, ela se promoveu a ajudar sem que ninguém a chamasse. Disse Fernanda.
-Os dois formam um casal tão lindo. Disse Kátia tentando amenizar os ânimos.
-Você implica tanto com a garota Fernanda, para com isso, ela não fez mal para ninguém, ela é um amor de pessoa sempre tenta agradar a todos. Disse Márcia.
-Pelo amor de Deus Márcia, para de sentimentalismo com ela, eu não gosto dela e pronto. E não gosto dela porque sei que ela está dando o golpe da barriga no coitado do Pedrinho. Essa moça não deve ter tomado à pílula ou então deve ter furado a camisinha só pra ter um filho com ele por causa do dinheiro que os pais dele têm, é isso que eu penso. Disse Fernanda irritada.
-Credo Fernanda, eu não acredito que você pensa assim da menina, isso acontece, e você sabe muito bem disso, e sei também que você não quer discutir esse assunto aqui, ou quer? Disse Márcia levantando o tom de voz.
Um silêncio tomou conta da cozinha.
-Estou aqui gente, desculpa pela demora, vocês sabem como é. Disse Amanda chegando sorridente sem entender direito o que estava acontecendo.
-Eu vou até o banheiro, volto logo. Disse Fernanda meia sem jeito saindo da cozinha como se não tivesse gostado do que havia ouvido. Kátia olhou com uma cara de desapontamento para Márcia, e Márcia abaixou a cabeça.
-Que clima chato gente, aconteceu alguma coisa? Perguntou Amanda sem entender nada.
-Imagina, não aconteceu nada Amanda, está tudo normal. Disse Márcia.

FIM DO CAPITULO
 

This Post has No Comment

Postar um comentário

Postagem mais antiga Postagem mais recente