No Comment
Alberto estava resolvendo algumas coisas em seu escritório, ele trabalhava como economista em uma empresa, quando de repente a secretária avisa pelo telefone:
-Senhor Alberto, a Senhorita Leona esta aqui na recepção e gostaria de falar com o senhor, eu a mando subir?
-Claro, pode mandar subir. Disse Alberto se animando.
Passados cinco minutos, entra uma bela mulher loira alta, bem vestida, tão bonita quanto Elizabeth.
-Eu achei que você havia esquecido dos seus compromissos comigo senhor Alberto Kingdom. Disse Leona se aproximando de Alberto.
-Como eu posso me esquecer de você? Disse Alberto levantando-se da cadeira e agarrando fortemente Leona dando-lhe um selinho.

10h00min
Elizabeth estava sentada no sofá conversando com Pedro sobre o assunto da gravidez de Amanda, Pedro ainda estava inseguro sobre tudo isso, ele era muito novo para ser pai, mas ele sabia que iria cuidar e segurar as responsabilidades.
-Mãe, e se os pais da Amanda não aceitarem que ela esteja grávida? Disse Pedro.
-Eles irão compreender você vai ver, fique tranqüilo, eu conheço muito bem o Otávio e a Gloria eles irão compreender, e a Avó dela que eu acho que não vai aceitar muito bem. Disse Elizabeth sendo interrompida pela campainha.
-Deixa que eu atendo, deve ser a Fernanda ou a Márcia. Disse Elizabeth se levantando para atender a porta.
Quando Elizabeth abriu a porta deparou-se com Amanda chorando em frente sua porta segurando duas mochilas que pareciam pesadas e cheias de roupas.
-Dona Elizabeth, me ajuda, eu não tenho mais para onde ir. Dizia Amanda aos prantos desesperada.
-Minha filha, entre, o que houve, Pedro venha ajudar a Amanda com as malas aqui. Dizia Elizabeth espantada com aquela cena.
Pedro levantou-se rapidamente para ajudar a namorada com as malas, Amanda estava desesperada, chorava sem parar.
-Meus pais me expulsaram de casa hoje de manhã, e eu não tenho mais para onde ir, o único lugar que eu tenho pra ficar no momento é com vocês. Disse Amanda sentando-se no sofá e esperando o copo de água que Pedro correu para buscar.
-Eu sabia que eles não iriam aceitar, eu disse pra você mamãe. Dizia Pedro da cozinha.
-Não se preocupe querida, aqui nós iremos cuidar de você. Disse Elizabeth. Elizabeth estava insegura com a idéia de Amanda se mudar de uma hora pra outra para sua casa, ela não sabia qual seria a reação de Alberto ao saber de duas notícias tão repentinas.

10h30min
Fernanda houve a campainha tocar mais uma vez, dessa vez era Juliana que estava na porta.
-Oi amiga, tenho ótimas novidades. Dizia alegremente e já entrando dentro da casa da Márcia.
-Nossa que felicidade é essa menina. Fernanda disse olhando o sorriso que estava na cara de Juliana.
-O Marcelo vai trabalhar no restaurante daquele hotel chiquérrimo, ele vai tocar em uma banda de jazz de um amigo dele, ele ta hiper feliz, ai eu e ele pra comemorar decidimos fazer um almoço na minha casa amanhã, é bom que, quem sabe até a Kátia já tenha chegado de viajem e almoce conosco. Disse Juliana sorridente sentada no sofá.
-Nossa Ju, que boa noticia, a do almoço e a do serviço. Disse Fernanda rindo.
-Agora eu vou à casa da Marina convidar ela o Orfeu e o Pietro, por último convido a Beth e fico um pouco por lá conversando com ela, fala pra Márcia que mais tarde eu apareço aqui. Disse Juliana indo à direção a porta.
-Hoje aqui vai ser uma festa também, eu aqui, a Beth e agora você, nós nunca nos separamos eu adoro isso. Disse Fernanda rindo.
-Todas nós amamos minha amada. Disse Juliana saindo e fechando a porta.

Enquanto isso bem longe dali no escritório de Alberto, ele e Leona conversavam sobre Elizabeth:
-Nós não podemos deixar a Elizabeth saber o que nós estamos fazendo, se ela descobrir vai tudo por água abaixo. Dizia Leona sentada de frente para Alberto que estava sentado em sua mesa.
-Nem ela, nem meus filhos podem descobrir isso, eu estaria frito. Dizia Alberto passando a mão na cabeça impaciente.
-Relaxa querido, ninguém desconfia de nada. Disse Leona se levantando da cadeira e dando outro selinho em Alberto – A gente se vê daqui a dois dias. Continuou ela.

10h40 min
Na casa de Marina, Juliana tocava a campainha.
-Oh que surpresa agradável, Juliana, quanto tempo minha querida. Dizia Marina abrindo a porta sorridente como sempre.
-Oi dona Marina, eu vim convidar vocês para um almoço que eu irei fazer amanhã na minha casa, e eu queria que vocês três comparecessem. Disse Juliana
-Mas é claro minha querida, nós iremos sim, afinal há quanto tempo que eu não me junto a vocês cinco, faz muito tempo que a gente não conversa, precisamos botar a fofoca em dia. Disse Marina rindo
-É verdade, bem agora eu vou à casa de Elizabeth, estou com um pouquinho de pressa, sabe como é. Disse Juliana se despedindo.
-Okay minha querida, então amanhã nos vemos no almoço. Despediu-se Marina.
Juliana tocou a campainha na casa de Elizabeth.
-Oi Beth. Disse Juliana estranhando a cara abatida de Elizabeth.
-Oi July, tudo bem, aproveite e entre, quem sabe você possa nos ajudar. Disse Elizabeth abrindo espaço na porta para Juliana entrar.
-Oi Pedrinho, oi Amanda, nossa gente o que esta acontecendo aqui, vocês todos estão com uma cara tão de enterro. Disse Juliana estranhando o clima da sala, ela sempre estava acostumada a chegar à casa de Elizabeth e ver todos sorrindo, e não era o que ela via naquele momento.
-Vem comigo July, eu preciso falar com você e deixar esses dois a sós. Disse Elizabeth subindo as escadas e pedindo que Juliana subisse junto com ela.

11h20 min
Elizabeth explicou tudo o que tinha acontecido com Amanda e Pedro nos últimos dois dias.
-Nossa! Mas ela está grávida de 3 meses já, e agora ela vai morar aqui com vocês Beth? Disse Juliana espantada com tudo aquilo.
-Eu ainda não sei, acho que hoje à noite eu deva conversar com a Márcia, quem sabe ela me ajude com essa história deixando a Amanda dormir na casa dela. Disse Elizabeth.
-Seria ruim mesmo ela ficar por aqui, o Alberto provavelmente não iria aceitar essa história toda. Disse Juliana pegando na mão de Beth.
-Eu espero que a Márcia deixe a Amanda dormir na casa dela, na casa da Fernanda não daria certo, e na sua também não, afinal você e o Marcelo trabalham direto. Disse Elizabeth abaixando a cabeça e começando a chorar.
-Eu tentei ser forte com todos esses problemas que vieram à tona, mas eu não suporto mais tudo isso, tem horas que eu tenho vontade de sumir e esquecer tudo, eu tenho medo de tudo o que vai vir pela frente. Disse Elizabeth soltando um choro devagar e aflito.
-A Márcia e a Fernanda comentaram comigo que você estava suspeitando que o Alberto esteja te traindo, mas amiga não se abale com isso. Disse Juliana abraçando bem forte Elizabeth.
-Eu tenho medo de ficar sozinha, tenho medo de pedir o divórcio, eu vou ser um nada sem meu marido por perto, eu tenho medo Juliana. Dizia Elizabeth abraçando bem forte Juliana.
-Você não vai ficar sozinha, fique calma amiga, nós sempre estaremos aqui do seu lado, sempre. Confortou Juliana, que estava quase chorando também.

Lá embaixo na sala, Amanda e Pedro conversavam.
-Pedro, me desculpe por ter escondido minha gravidez de você, eu estava com medo de sua reação. Disse Amanda sentada no outro sofá olhando para Pedro que estava de cabeça para baixo.
-Eu que me desculpo pela minha atitude de fúria hoje de manhã, eu agi sem pensar àquela hora.
-Eu sei que você estava fora de você mesmo amor, eu conheço muito bem sua personalidade, e sei que não deve ter sido fácil para você ouvir que eu estava grávida. Disse Amanda sentando no mesmo sofá que Pedro estava.
-A gente vai criar esse guri com todo o amor possível, nos iremos assumir a responsabilidade. Disse Pedro levantando a cabeça e acariciando a barriga de Amanda.
-Amanhã a gente tem que começar a pensar nos nomes, afinal a gente não sabe se é um menino ou uma menina, até agora eu só fiz o teste da farmácia sabe Pedro. Disse Amanda passando a mão sobre a de Pedro.
-Depois nós vemos como vai ficar o ultra-som, agora nós temos que nos preocupar com o hoje, me da um beijo Amanda, eu te amo garota, e nossa família vai ser linda, esse vai ser o primeiro filho de muitos. Disse Pedro rindo e dando um beijo em Amanda.
Elizabeth e Juliana desciam as escadas, Juliana já estava de saída.
-Bem, vou indo agora pessoal, agora eu sou uma dona de casa normal, sem emprego e eu até ia me esquecendo, eu vim aqui pra convidar vocês para irem ao almoço que eu vou fazer amanhã em casa, comemorando o novo emprego do Marcelo. Disse Juliana se animando.
-July, você saiu do emprego? Disse Pedro espantado.
-Felizmente sim, depois que aconteceu aquela história toda dos empresários terem rejeitado o Marcelo eu aproveitei e pedi minhas contas, agora eu sou uma simples dona de casa. Disse Juliana sorrindo e saindo pela porta.

06h25min
Márcia chega do serviço, ao entrar em casa repara que Fernanda não estava por lá, dois minutos após ela entrar dentro de casa a campainha toca.
-Oi amiga, desculpa o incomodo, eu vi que você tava chegando e aproveitei pra falar com você agora mesmo, não dá mas pra esperar daqui a pouco o Alberto já ta chegando. Disse Elizabeth com uma cara meio cabisbaixa. Márcia foi logo a convidando para entrar.
-Diga qual o problema amiga... Disse Márcia sentando ao sofá e chamando Elizabeth para sentar-se ao seu lado.

Passados 15 minutos, Elizabeth havia explicado toda a história sobre a gravidez de Amanda, e pedido para a amiga que desse abrigo para Amanda porque Alberto não iria aceitar saber que uma garota ficou grávida de seu filho antes da maioridade.

-Nossa, mas é claro que eu vou te ajudar a cuidar dessa garota, e grande atitude do Pedro ter aceitado essa criança. Disse Márcia ainda meio espantada com a notícia.
-É sempre bom ter você ao meu lado nesses meus momentos difíceis, só Deus sabe o quanto eu estou sofrendo com essas coisas acontecendo rapidamente e do nada. Disse Elizabeth abaixando a cabeça – Mas eu não vou me abalar e vou parar de chorar, começar a encarar os problemas de cabeça erguida como eu sempre fiz e continuar a ser a antiga e forte Elizabeth. Continuou ela passando a mão no rosto para enxugar uma lágrima teimosa que queria sair.
A campainha toca. Eram Amanda e Pedro que estavam na porta, ela já estava com as malas prontas para começar a viver com Márcia.
-Bem-vinda minha querida, sinta-se em sua casa. Disse Márcia se levantando para receber os dois.
Amanda estava muito feliz, ela tinha apenas 16 anos e já estava passando por essas dificuldades, mas naquela hora ela percebeu que existiam pessoas que ficariam do lado dela, ao contrário de seus pais, e seu namorado iria fazer o impossível para garantir a felicidade dela e do futuro integrante da família Kingdom.


FIM DO SEXTO CAPITULO
 

This Post has No Comment

Postar um comentário

Postagem mais antiga Postagem mais recente