2 comentários
05/11/2020
08: 00 min AM

Na casa de Marina e Orfeu...
Marina estava tomando café dentro de casa, ela havia perdido o costume de tomar café em frente sua casa. De repente a porta se abre, era Orfeu que vinha se aproximando.
-Onde o senhor passou a noite? Perguntou Marina sem olhar para o marido.
-Eu pensei que não lhe devia mais satisfação dos meus atos. Respondeu Orfeu friamente.
-Olha Orfeu, vamos acabar com isso querido, eu não agüento mais viver assim com você, nossa vida era tão calma e afetiva antes dessas últimas coisas que aconteceram.
-Peça desculpas para Fernanda que assim eu irei te perdoar.
-Eu não acredito que você disse isso Orfeu.
-Pois então acredite, até agora não entrou na minha cabeça esse papelão todo que você aprontou na casa dela.
-Eu lhe pedi desculpas Orfeu, eu errei.
-Você deve desculpas a ela Marina, você quebrou a casa dela e machucou-a, por favor, Marina olhe bem para a sua idade você não podia ter feito aquilo.
-Minha vida é uma tristeza, eu me sinto tão mal ultimamente. Disse Marina chorando.
-Amor, não fique assim, admita o erro seu você irá se sentir muito melhor quando perdoar-se a si própria.
-Eu não consigo Orfeu, eu não admito que nosso filho esteja namorando uma mulher como a Fernanda, é muita coisa pra minha cabeça.
-Mas Marina a vida é dele, o Pietro já maior de idade há muito tempo você tem que parar com essa mania de achar que o nosso filho é uma criança que vai ficar embaixo de sua saia.
-Eu só quero proteger o nosso filho Orfeu.
-O nosso bebê sabe se cuidar Marina, pare de chorar meu amor eu estou aqui do seu lado. Disse Orfeu derramando algumas lágrimas e abraçando a amada.

Na casa de Kátia...
Apenas Glória e Kátia estavam na cozinha tomando café, Kátia gostava de tomar café ao lado da empregada, tratava Glória como se fosse da família, afinal Glória sempre foi sua companheira desde que o seu marido fugiu e a deixou sozinha cuidando das crianças. Glória, a empregada, acompanhou o crescimento das crianças desde que eles ainda eram pequenos bebê.
-As crianças dormiram tarde ontem hein Glorinha. Disse Kátia.
-Verdade dona Kátia, o Leandro ficou até de madrugada na sala com as meninas e os dois filhos da dona Elizabeth vendo um monte de filme de terror.
-Eu odeio esse tipo de filme, lembro quando a Steffani era criança e assistia a esses filmes, na mesma noite ela não conseguia dormir era um sacrifício. Eu levantava de madrugada e tinha que deixar a luz do corredor acesa, e colocar uma vassoura no armário para nenhum ‘’monstro’’ sair de dentro dele, eu fazia de tudo. Disse Kátia rindo.
-Eu lembro desses dias. Ah, dona Kátia mudando de assunto, ontem de manhã eu vi a dona Elizabeth saindo com os filhos e a nora, eu acho que eles foram fazer o ultra-som da garota.
-Nossa é verdade, bem lembrado Glorinha eu já havia me esquecido, a Beth tinha comentado com a gente isso só que eu tinha me esquecido, faz o seguinte Glorinha prepara um bolo formigueiro bem gostoso para a Amanda, eu vou dar os parabéns a ela.
-Pode deixar dona Kátia, vou começar a preparar agora mesmo. Disse Glorinha terminando de tomar o café e indo para a cozinha.
-Muito obrigado querida! Agora me de licença que eu vou subir para acordar as crianças. Disse Kátia levantando-se.

Na casa de Elizabeth...
Elizabeth e Amanda já haviam acordado já Matheus e Pedro ainda dormiam por causa da noite anterior. A campainha toca, Elizabeth vai atender era Juliana e Beth já foi a convidando para entrar.
-Bom dia gente, eu to ta animada hoje. Disse Juliana já se sentando no sofá toda sorridente.
-Nossa! Que felicidade é essa amiga, conta pra gente. Disse Elizabeth sentando-se no outro sofá ao lado de Amanda.
-A Leona adorou minha comida e o meu jeito de cozinhar, ela disse que eu começo hoje das 11 até as 8 da noite, o horário é pesado, mas ela disse que eu vou ser bem recompensada.
-Que ótimo July, meus parabéns você merecia esse emprego, você cozinha extremamente bem. O Marcelo já esta sabendo da novidade?
-Ainda não, quero guardar a surpresa até ele acordar, afinal vocês sabe que eu pouco vejo o Marcelo agora então nós só nos veremos direito de Domingo, o único dia da nossa folga.
-Vai ser difícil para vocês ficarem sem se ver direito. Disse Amanda.
-Muito, no começo o Marcelo vai achar a idéia ruim, mas ele acostuma, o ruim é que a cobra vai ficar solta dentro de casa. Disse Juliana e todas riram.
-E vocês, como foi o resultado de ontem no hospital? Perguntou Juliana.
-Estou grávida de gêmeos, e são duas meninas. Respondeu Amanda sorridente.
-Que lindo isso, parabéns minha querida, tudo de bom para vocês.
-Obrigada Ju.
-E o Alberto já esta sabendo da novidade Beth? Perguntou Juliana.
-Já esta sabendo sim, ficou contente. Amanda, querida, por favor, desligue o fogo para mim, eu vou subir no quarto com a Juliana rapidinho eu preciso falar com ela em particular se você não se importa.
-Apago sim sogrinha, podem ir – Disse Amanda levantando-se rapidamente – Eu nunca posso participar dessas conversas particulares, que raiva.
Chegando ao quarto...
-O que foi Beth? Perguntou Juliana já sentando na cama ao lado de Elizabeth.
-Já!Já está tudo pronto para eu pegar Alberto e a amante dele no flagra, eu fique sabendo pelo meu informante secreto que Alberto tem reserva para amanhã no hotel, provavelmente ele irá chegar amanhã e não quer me dizer nada sobre isso.
-Vai ser um grande flagrante então, vai ser seguro isso Beth?
-Deus queira que sim July, até agora tem tudo para dar certo.
-Quem será a secreta amante dele Beth, você faz alguma idéia?
-Nenhuma idéia July, eu não desconfio de ninguém, eu não entendo porque o Alberto me trai, sempre fui uma mulher exemplar pra ele, sempre me comportei bem e gosto das coisas todas certas, eu sinceramente não entendo.
-Homem quando trai sempre tem algum pretexto sacana amiga, você vai ver, e quando vocês decidirem o divórcio vai ser muito difícil para os meninos.
-Eles irão entender July, vão ver que o pai esta errado, amanhã eu descubro a verdade, e já estou preparada com minha câmera para pega-los no flagrante.
Alguém bate na porta.
-Posso entrar? Sou eu Kátia.
-Pode entrar Kátia.
-Licença meninas, nossa eu não consegui segurar a curiosidade de vir até aqui e saber o sexo do seu neto Beth, ou melhor, das suas netinhas, a Amanda me disse que são gêmeas.
-Você viu que benção Kátia, eu estou tão feliz com isso. Disse Beth.
-Imagino. E o que vocês estão conversando escondidinhas aqui no quarto hein moçinhas? Perguntou Kátia já se sentando ao lado de Juliana na cama.
-Sobre a traição de Alberto. Respondeu Juliana.
-Não brinca com isso, sério? Você deve estar arrasada com isso né amiga?
-Eu superei Kátia, faz um bom tempo que eu descobri isso.
-Eu estou desatualizada, não estava sabendo dessa história ainda, que triste.
-É melhor mudarmos de assunto o Alberto não merece que nós percamos nosso precioso tempo falando dele. Disse Juliana e todas riram.
-Que tal se nós falássemos do mistério da Márcia? Disse Kátia.
-Mistério? Como assim Mistério? Perguntou Elizabeth sem entender muito bem.
-Vocês não estão sabendo? A Márcia esta indo viajar outra vez, me pediu ontem para deixá-la no hotel e de lá ela iria até o aeroporto de malas prontas para ir a algum lugar. Respondeu Kátia.
-Eu nem estava sabendo disso, concordo plenamente com você Kátia isso é um mistério, pelo jeito ela não deve ter comentado com nenhuma de nós sobre isso, apenas com você Kátia. Disse Juliana.
-Comigo e com a Fernanda, eu comentei isso com ela e ela me disse que a Márcia tinha avisado a ela. Disse Kátia.
-Mas a Márcia acabou de chegar de uma viagem, não faz nem um mês direito, gente isso é estranho. Disse Elizabeth.
-Eu tive uma idéia, não sei se vocês vão querer concordar comigo. Disse Juliana.
-Que idéia Ju? Perguntou Kátia.
-Que tal nós irmos até o hotel onde a Kátia deixou a Márcia e descobrirmos tudo isso?
-Credo Juliana, que coisa feia querer xeretar a vida das pessoas, eu estou contra a sua idéia. Disse Elizabeth.
-Pois eu também estou contra isso amiga, eu não podemos ficar invadindo a vida dela, mas que deixa um ar de mistério, ah isso deixa.
-Bem meninas eu vou pra casa tomar café com meu namoradinho, depois vou dar uma descansada e vou ao trabalho, beijinho queridas. Disse Juliana despedindo-se das amigas.
-Agora que só esta eu e você nesse quarto, conta pra mim detalhadamente essa história de traição do Alberto porque eu estou desinformada. Disse Kátia.
-Então vamos lá, tudo começou...

12: 20 PM
Na casa de Fernanda...
Pietro e Fernanda já estavam acordados, Pietro estava arrumado para ir de volta a casa dos pais.
-Você tem certeza de que quer ir embora para sua casa, sua mãe deve estar uma fera Pietro. Disse Fernanda para Pietro.
-Tenho certeza sim amor, eu não vou arrumar encrenca com ninguém apenas quero conversar e esclarecer essa história toda com minha mãe.
-Boa sorte Pietro, eu só te desejo isso, eu sabia que tudo isso ia acontecer um dia por isso eu nunca quis um compromisso extremamente sério com você.
-Então quer dizer que no primeiro obstáculo você já pensa em desistir Fernanda?
-Não Pietro, não é isso. Pra mim isso é difícil, eu nunca passei por isso e eu na quero que você arranje briga com sua mãe por minha causa.
-Pois esta na hora de passar e se quiser desistir o momento é agora. Disse Pietro mudando o tom de voz.
-Nossa! Não preciso falar assim comigo, eu não vou desistir não.
-Espero que não. Disse Pietro saindo e dando as costas para Fernanda.
-Ai meu Deus, olha o que eu fui arrumar pra minha cabeça. Disse Fernanda para si mesma.

Na casa de Marina e Orfeu...
A campainha toca e Orfeu vai para atender, era Pietro quem estava chamando.
-Oi pai, posso entrar? Disse Pietro.
-Claro filho, essa ainda continua sendo sua casa. Disse Orfeu indo se sentar do lado de Marina no sofá.
-Oi mamãe, nós precisamos ter uma séria conversa, nós três se possível.
-Eu até já imagino o que você queira conversar Pietro, eu estou disposta a esclarecer tudo pra você.
Passados 30 minutos de conversa...
-Então foi a Márcia que fez sua cabeça mamãe? Eu não posso acreditar nisso, as duas são tão amigas, que trairá foi a Márcia a Fernanda nunca fez nada de ruim pra ela. Disse Pietro.
-Ela mesma, até agora não entendi o motivo por qual ela fez isso, eu e seu pai conversamos e eu decidi ficar fora disso tudo, se a Márcia tem alguma mágoa ou raiva da Fernanda então ela que resolva, nunca mais quero sentir aquele ódio que eu senti da Fernanda.
-Eu infelizmente vou ter que comentar isso com a Fernanda, a senhora não pode sair como culpada dessa história, a Márcia te pegou em um momento fraco e fez sua cabeça.
-E amanhã quando eu estiver mais calma prometo que vou até a casa dela pessoalmente e digo que estou arrependida de toda aquela confusão.
-Agora que está tudo resolvido venha almoçar conosco filho, sua mãe fez uma deliciosa lasanha para nós.
-Eu adoro lasanha, fico com certeza papai.

Na casa de Elizabeth...
Amanda e Pedro conversavam na sala assistindo TV, Matheus ainda não havia acordado.
-Amor, hoje eu acordei pensando no nome de nossas filhas. Disse Amanda.
-E quais são seus preferidos amor? Perguntou Pietro.
-Aurora e Madeleine, eram os nomes das minhas duas bisavós, as duas únicas pessoas da minha família que me amavam.
-São nomes bonitos, mas ainda temos muito tempo para pensar em nomes, sinceramente eu gostei muito deles.
-Eu vou fazer sua cabeça para que sejam esses dois nomes. Disse Amanda sorridente dando um beijo em Pedro.
-E o seu pai será que vem quando Pedro? Perguntou Amanda.
-Não sei provavelmente minha mãe deve saber o dia em que ele chega.
-Devo saber o que filho? Perguntou Elizabeth descendo as escadas ao lado de Kátia.
-Quando o pai chega. Você e Kátia demoraram na conversa hein mamãe. Disse Pedro rindo.
-Pare de ser intrometido Pedro são assuntos particulares, fazia tempo que eu não via a Kátia nós tivemos que colocar os assuntos em dia. Disse Elizabeth.
-Mas infelizmente eu já preciso ir, os meus filhotes já devem ter despertado do profundo sono, Vocês aproveitaram bastante ontem hein Pedro, o Matheus ainda nem se levantou. Disse Kátia se aproximando de Pedro para dar um beijo de despedida.
-Foi muito bom ontem a noite de terror na sua casa tia Kátia, mas fique mais um pouco aqui em casa está muito cedo para ir embora. Disse Pedro. Matheus e Pedro sempre tinham o costume de chamar Kátia, Fernanda, Juliana e Márcia de tias, afinal as 4 eram amigas intimas de Elizabeth e acompanharam o crescimento dos dois.
-Mais tarde eu volto meu lindo, a Glória fez um bolo pra Amanda e eu venho entregar mais tarde, parabéns pelas duas princesinhas que estão para vir Amanda. Disse Kátia.
-Muito obrigada Kátia.
-Bem agora eu vou indo pra casa, beijos amores, se cuidem Beth qualquer coisa vá até em casa e me procure. Disse Kátia indo embora.
-E eu vou indo acordar seu irmão porque já são 11 horas da manhã em pleno sábado e aquele doido ainda continua dormindo. Disse Elizabeth subindo as escadas.
-Amor, eu tenho que te contar um segredo. Disse Amanda checando se a sogra já havia subido as escadas para o quarto de Matheus.
-Um segredo? Que segredo Amanda? Perguntou Pedro.
-Hoje eu fiquei atrás da porta do quarto de sua mãe ouvindo o que ela e as amigas conversavam, eu sei que isso é feio, mas eu descobri uma coisa terrível.
-Feio mesmo Amanda, minha mãe não iria gostar de saber disso, mas já que você começou me fale o que você ouviu atrás das portas.
-O seu pai esta traindo sua mãe, foi o que eu consegui escutar, e sua mãe esta indo descobrir tudo sobre essa história amanhã, ele volta amanhã do Japão escondido.
-Você tem certeza do que você esta falando pra mim Amanda? Isso é uma acusação séria. Disse Pedro surpreso e espantado ao mesmo tempo.
-Tenho absoluta, elas falaram muito pouco sobre o assunto, mas eu tenho certeza do que eu falo.
-Eu preciso conversar com minha sobre esse assunto urgentemente.
-Pedro nem pense nisso, eu iria me comprometer seriamente, por favor, não me envolva nisso.
-Então porque você inventou de ouvir essa história?
-Porque eu sempre tive inveja de sua mãe e as amigas dela, eu sempre tive vontade de participar das conversas secretas no quarto dela, por isso eu acabei fazendo essa coisa feia.
-Eu fiquei indignado com isso, espero que minha mãe não esteja sofrendo. Disse Pedro levantando-se e indo para a cozinha.

10: 00 PM

No restaurante Wind...
-Juliana me faz um favor? Disse a cozinheira para Juliana
-Faço sim, pode falar.
-Vá até a sala da Chef Leona e peça para ela ir ao salão, tem um senhor querendo cumprimentar a chef pela boa comida e pedir uma dica de vinho.
-Tudo bem, to indo rapidinho. Disse Juliana indo para a sala de Leona no andar de cima.
Juliana chegou ao corredor e sem querer incomodar a chef que estava em um telefonema ela ficou esperando do lado de fora, mas Leona falava tão alto no telefone que era impossível de não se ouvir a conversa pelo corredor.
-Sim amor, a verdade é essa, eu estou grávida. Mas é claro que eu estou tentando esconder das pessoas isso, mas não sei até quando essa mentira vai durar. Eu não vou mais agüentar viver mentindo pra todo mundo, uma hora essa história vai vazar. Olha faz o seguinte, me esquece por hoje e amanhã nos iremos resolver essa bagunça. Leona então desligou o telefone, Juliana estava surpresa ao ter ouvido tudo aquilo e foi entrando como se nada tivesse ocorrido.
-Chef, tem um cliente amigo sue querendo falar com você na mesa dela, ela quer que você recomende um prato e um vinho pra ela. Disse Juliana com um sorriso disfarçado.
-Tudo bem, desce comigo então, hoje meu dia não esta fácil.

Chegando à cozinha...
-O cliente é o da mesa 15 Chef. Disse a cozinheira entregando o cardápio na mão de Leona.
-Não preciso de cardápio Emília, eu tenho todos os pratos decorados em minha cabeça. Disse Leona se retirando na cozinha e indo direto a mesa 15.
-Boa tarde Leona, eu estava morrendo de saudades minha querida. Disse Alberto que estava sozinho sentado na mesa 15 com um enorme sorriso sarcástico, Leona ficou paralisada.


FIM DO CAPÍTULO
 

This Post has 2 Comments

16 de abril de 2009 14:33

MEUDEUS Q COISA CONFUSA



16 de abril de 2009 15:01

MEDROSA PQ?


Postar um comentário

Postagem mais antiga Postagem mais recente