No Comment
11H: 30 MIN AM
O Almoço e as sobremesas já estavam todas prontas, só faltava arrumar a grande mesa que iria receber todos os convidados, na mesa havia espaço para 12 pessoas, mas Juliana teve que improvisar, pois iria receber 15 convidados. Com tudo já pronto Juliana subiu para se arrumar e ligar para Marcelo vir logo para casal. Fernanda, Márcia, Kátia e Amanda, foram cada uma para sua casa se arrumar. De repente a campainha toca na casa de Juliana enquanto ela esta descendo as escadas toda arrumada.
-Nossa, eu disse que o almoço seria ao meio-dia e esse povo já chega com meia-hora de adiantamento.
Juliana abre a porta e surpreende-se com que esta ao lado de fora.
-Bom dia minha querida, há quanto tempo que não nos vemos, achei que estivesse esquecido de mim.
Eram os pais de Marcelo, Diana e Rafael, que tinham grande preconceito contra Juliana pelo fato dela ser negra.
-Bom dia dona Diana e Senhor Rafael, há quanto tempo. Disse Fernanda toda sem jeito e sem entender nada, afinal não tivera chamado os dois para o almoço.
-Nós adoramos termos sido convidados para o almoço que você fez para comemorar o novo emprego do nosso filho. Disse Diana com um tom meio de superioridade.
-Bem, na verdade deve ter ocorrido algum...
-Juliana me ajuda com essas bagagens, pegue pelo menos as malas mais leves. Disse Marcelo ao fundo atrás de um carro retirando algumas malas que pareciam ser de seus pais.
-AI MEU DEUS EU NÃO ACREDITO. Pensou alto e expressou Juliana.
-Nós achamos que você não iria se importar com nossa estadia em sua casa e decidimos passar alguns dias por aqui. Disse Rafael com um sorriso sarcástico. Juliana apenas passou a mão sobre o rosto tentando se controlar para não bater em Marcelo, apenas sorriu e disse:
-Podem se acomodar lá dentro de casa, o almoço vai ser servido ao meio-dia. Disse ela seguindo em direção ao namorado enquanto Diana e Rafael entravam em sua casa.
-Amor me ajuda com a maleta de maquiagem e o cachorro da minha mãe, é o que tem de mais leve por aqui. Disse Marcelo segurando 4 malas e olhando para Juliana que estava de braços cruzados com uma cara nada agradável.
-Você tem o que dentro dessa cabeça oca Marcelo? Perguntou Juliana furiosa.
-Nossa, pra que todo esse nervosismo? Eu só quero fazer as pazes entre vocês três, e o almoço foi uma ótima idéia para que isso acontecesse.
-Ah sim! Você nem me consultou Marcelo, naquela hora em que eu te liguei custava ao menos informar que os seus pais estariam vindo para acabar com a minha felicidade, e têm mais, eles estão vindo passar alguns DIAS.
-Querido traga logo minhas malas. Disse Diana lá da porta.
-Eu vou até a casa da Márcia esfriar a minha cabeça, enquanto isso fala pra sua mãe pelo menos arrumar a mesa para mim. Disse Juliana saindo sem querer muito papo.
-Ai meu Deus! Que problema eu fui arrumar pra minha cabeça. Disse Marcelo rindo.

Enquanto na casa de Kátia que estava toda bagunçada com malas e roupas por todo o canto espalhado.
-Steffani, Mari, vocês não vão comigo no almoço da Juliana?
-Pode esquecer mãe, essas duas têm aula daqui a pouco, só eu mesmo que vou te acompanhar. Disse Leandro já todo arrumado.
-Você podia chamar aquele seu namoradinho pra te acompanhar, não é mamãe? Disse Steffani olhando por cima a mãe por cima do livro com m ar de deboche. Steffani e Mariana não eram a favor do namoro de Kátia com aquele americano, elas desconfiavam que aquele cara não fosse o homem certo e ideal para a mãe.
-Ele está muito longe Steffani, talvez amanhã ele apareça por aqui. Disse Mariana também num tom de deboche.
-Eu só não brigo com vocês duas porque hoje eu estou com cem por cento de humor, e não estou a fim de brigas. Disse Kátia toda sorridente.
-Eu sei por que elas estão com ciúmes de você e o Paul mamãe Disse Leandro rindo.
-O que meu filho? Perguntou Kátia entrando no tom de piada de Leandro.
-Elas estão precisando arranjar um namorado, URGENTE, essas meninas estão em uma seca jamais vista, tem que tomar cuidado para não criarem teias de aranha na boca. Disse Leandro gargalhando.
-Leandro faz um favor. Levantou-se Steffani indo à direção ao irmão e parando em sua frente.
-Diga minha querida irmã.
-Vai se ferrar Lele. Disse Steffani saindo irritada da sala.
-Olha o respeito senhor Leandro e senhora Steffani, não quero palavrões dentro dessa casa. Disse Kátia.
A campainha toca. Kátia abre a porta e Juliana entra como um relâmpago dentro da casa.
-Kátia! Como eu sei que você é a única que se arrumou mais depressa eu vim me desabafar com você. Disse Kátia toda afobada.
-Nossa, na verdade eu sou a segunda a arrumar-se mais rápido. A Beth ainda não chegou a sua casa?
-Que nada, sumiu como fumaça nesse mundo afora, o Pedro disse que ela saiu para resolver alguns problemas, espero que ela chegue a tempo. Bem mais não é isso que eu vim discutir, o assunto é muito grave. Disse Kátia pegando uma duas taças de vinho e um vinho na adega de Kátia. As duas tinha essa intimidade uma na casa da outra.
-Vamos subir Mariana, o assunto parece ser individual. Disse Leandro subindo com a irmã para o quarto.
-Nossa, July, o que houve? Perguntou Kátia sentando-se na bancada.
-Tem uma jararaca dentro da minha casa, com 1,70 de altura, esticada de botôx, velha, debochada, chata, bem dentro do meu lar, e ainda mais com um cachorro pentelho pra fazer companhia. Disse Juliana virando um gole de vinho e enchendo outro.
-A cobra da sua sogra está aqui. Disse Kátia apavorando-se.
-O meu pior pesadelo está acontecendo hoje, eu nunca imaginaria aquela mulher, o marido dela e o cachorro dela fossem me visitar depois de tantos anos e tanta humilhação. E tem mais uma coisa Kátia, toma mais um gole e se prepare. Disse Juliana virando outra taça de vinho juntamente com Kátia.
-Manda July.
-Os três vão passar um tempo indeterminado em minha casa.
Kátia levou um grande susto colocando todo o vinho pra fora da boca.

12H: 00 AM
-Amor, você não vem para o almoço? Falava Elizabeth ao telefone com Alberto.
-Tudo bem meu querido, eu entendo que você não possa vir ao almoço de hoje e sei que você tem compromissos importantes. Eu apenas queria curtir esse almoço com você, afinal amanhã você já vai estar de viajem para o Japão. Tudo bem amor, beijo, tchau. Disse Elizabeth desapontada desligando o telefone.
-Vamos Pedrinho, não quero chegar nem um minuto atrasada, seu pai infelizmente não vai vir por causa de uma reunião de última hora, pegue algum CD antigo dele para ouvirmos lá na casa da July, ela adora os discos antigos de seu pai. Disse Elizabeth já arrumada para o almoço, vestindo um belo mini vestido azul marinho e o colar de diamantes Svarovisky que herdou da mãe falecida.
Lá fora Marina e Orfeu saiam de casa na mesma hora.
-Marina, há quanto tempo querida.
-Verdade, nós não nos encontrávamos há tanto tempo, esse almoço de hoje parece que vai unir todos nós mais uma vez. Disse Elizabeth sorrindo.
-Elizabeth, como você esta elegante. Disse Orfeu admirando Beth.
-Muito Obriga Senhor Orfeu, vocês dois estão muito elegantes também. Disse Elizabeth. E ela estava certa ao dizer isso.
-E o Alberto não vem se juntar a nós? Perguntou Orfeu,
-Infelizmente não Orfeu, uma reunião de última hora acabou mudando os planos que ele tinha de vir para cá na hora do almoço, mas eu trouxe alguns discos dele que tenho certeza que todos irão amar, e Pedro vai me acompanhar por enquanto até o Matheus chegar da escola. Disse Elizabeth sorrindo.
-E o Pietro, já foi para a casa da Juliana? Perguntou Pedro.
-Não querido. Ainda não. Recebeu uma ligação também de última hora, e ta dando um tempo em casa falando ao telefone. Responder Orfeu.
-Bem, mas tenho certeza que ele vai a esse almoço. E vamos indo, porque já estamos na hora. Disse Marina.

Na casa de Fernanda...
Fernanda estava no quarto terminando de arrumar o cabelo e se maquiar, quando de repente ouve alguém se aproximando no quarto e ela levantou rapidamente da cadeira.
-Quem está ai? Disse Fernanda assustada.
-Calma gata, sou eu Pietro, vim te fazer uma visitinha antes da gente ir pro almoço. Disse Pietro entrando no quarto de Fernanda com um buquê de rosas que ele havia deixado dentro de seu quarto para dar a ela.
-Você quase me matou de susto, achei que fosse alguém invadindo minha casa, e essas flores são pra quem? Disse Fernanda alegremente.
-Pra uma mulher que eu amo demais. Disse Pietro beijando Fernanda.
-Muito obrigado meu menino, também te amo, mas não se esqueça nós não iremos ter nada sério por enquanto, e espero que você me entenda.
-Eu sei Nanda, mas só o fato de ter sua companhia já basta pra mim por enquanto. Disse Pietro.
-Eu também gosto muito da sua companhia.
-Vim te convidar pra ir jantar amanhã comigo no restaurante da Leona. Você aceita me acompanhar? Perguntou Pietro.
-Mas é claro, me pegue as 7, eu estarei divinamente linda para esse encontro, prometo. Disse Fernanda rindo e dando um beijo apaixonado em Pietro.

1H: 00 PM
Todos estavam reunidos na casa de Juliana, os únicos que não haviam ido para o almoço foram Alberto, Steffani e Mariana. Na Mesa todos conversavam sobre assuntos diferentes, e os pais de Marcelo começaram a conquistar os convidados da festa do filho, e isso estava incomodando Juliana demais. Mais quando o assunto começou a ser o homenageado Marcelo, sua mãe decide fazer um brinde.
-Bem, eu quero fazer um brinde para o meu filho, que apesar de alguns deslizes sempre me trouxe felicidade. O Marcelo sempre foi um menino que se preocupou com todas as pessoas que estão em sua volta, principalmente comigo que sempre estive do lado dele e nunca o abandonei mesmo depois dele ter fugido de casa. Mês passado eu recebi uma ligação inesperada dele querendo fazer as pazes comigo, desde que ele fugiu de casa quando eu não aceitei o namoro dele eu sinto muita falta do Marcelo. Eu te perdôo meu filho. Emocionada Diana da um abraço em Marcelo que estava sentado ao seu lado.
-Ela não é tão má assim como fala a Juliana. Sussurrou Fernanda para Márcia que estava ao seu lado.
-Eu tenho uma última coisa pra falar - Continuou Diana – Eu trouxe mais uma pessoa para se juntar a nós, eu liguei pra essa pessoa de última hora e ela já esta aqui.
-Desculpa interromper o seu grande discurso, mas esse almoço já tem gente demais, e todos aqui são íntimos meus e do Marcelo. Disse Juliana.
-Bem sem mais delongas entre Alexandra. Disse Diana sem dar muita atenção ao que Juliana havia dito.
-Ai meu Deus! Esse almoço vai dar briga. Sussurrou Márcia para Fernanda.
-Alexandra, há quanto tempo. Disse Marcelo levantando-se da cadeira cumprimentando de pé a bela moça. Alexandra era uma mulher alta, bela, cabelos loiros descolo ridos, e parecia uma boneca com silicone, estava vestindo um micro vestido rosa.
-Ai que beleza, fazia tanto que vocês não se viam parece que esse almoço esta sendo um lugar de reencontro. Disse Rafael com um sorriso sarcástico.
-Eu pensei que a senhora tivesse ouvido direito o que eu disse, ESSE ALMOÇO É SO PARA PESSOAS ÍNTIMAS. Disse Juliana levantando-se da cadeira e indo para o lado de Marcelo que estava abraçando Alexandra. Diana riu.
-Meu Deus, a massa desse nhoque esta divina. Disse Elizabeth querendo evitar uma discussão.
-A Alexandra é muito íntima minha e de Marcelo, ela e Marcelo se conhecem desde pequeno, os dois eram inseparáveis. Disse Rafael olhando para Juliana.
Juliana olhou com um olhar sério sobre Alexandra, todos na mesa se sentiam constrangidos com aquele momento.
-Juliana eu vou colocar um disco da Gal Costa, eu sei que você adora. Disse Elizabeth levantando-se indo pra sala pegar o disco.
-Eu e o Marcelo namoramos antigamente, uma relação que durou mais de 6 anos. Desculpe a indelicadeza, mas quem é você? Perguntou Alexandra delicadamente sem saber que Juliana era namorada a mais de 10 anos de Marcelo, afinal Diana apenas a chamou para se encontrar com Marcelo sem dar muitos detalhes, como dizer que Marcelo já tinha um namoro firme a um longo tempo.
-Eu não sou ninguém. Disse Juliana com um triste olhar e se retirando da sala de jantar.
-July, espera. Disse Marcelo correndo atrás de Juliana que havia ido direto para o quarto como um cometa de tão rápida. Todos na mesa se olhavam.

FIM DO CAPÍTULO
 

This Post has No Comment

Postar um comentário

Postagem mais antiga Postagem mais recente